BIOGRAFIA


BIOGRAFIA
Nascimento, filiação
Nasci na cidade de Juazeiro do Norte, Ceará, Bairro Socorro, no dia 6 de setembro de 1947. Sou filho de José Marques da Silva e de Maria Almeida Marques. Casado com a Professora Tereza Neuma de Macedo e Silva Marques, com quem tenho dois filhos: Michel, Professor Universitário, e Daniel Walker Junior, Engenheiro de Produção.

Escolaridade
Fiz as primeiras letras com a conhecida professora Toinha Gonçalves em sua escola particular localizada na Rua Santa Luzia, Bairro do Socorro, em Juazeiro do Norte. Depois estudei no Grupo Rural Modelo (que era a Escola de Aplicação da Escola Normal Rural) e no Grupo Escolar Paulo Sarasate, todos de Juazeiro do Norte, e depois (1960) estudei no Colégio Agrícola de Lavras da Mangabeira, Ceará, em regime de internato, onde fiz o 1º Ano do Curso de Iniciação Agrícola. Retornei a minha terra natal em 1961, e daí até 1964, fiz o Curso Ginasial no Colégio Salesiano São João Bosco. Neste educandário passei os melhores momentos da minha vida estudantil. Fiz boas amizades, algumas das quais perdura até hoje, fui aluno aplicado, e foi aí que iniciei minha vida literária, participando da fundação do Grêmio Literário Dom Pedro II. Concluído o Curso Ginasial, ingressei no Colégio Diocesano do Crato, onde cursei o 1º e 2º Científicos (1965-1966). Como em Juazeiro não havia faculdade, em 1967 ingressei no Colégio Castelo Branco, de Fortaleza, Ceará, onde fiz o 3º Científico e o cursinho pré-vestibular. Reprovado no vestibular para Agronomia da Universidade Federal do Ceará voltei a minha terra natal e em 1969 fui estudar em Recife, onde fiz vestibular para a Faculdade de Medicina, sendo classificado para o Curso de Fisioterapia, o qual cursei apenas o primeiro semestre, retornando em seguida para Juazeiro do Norte. Em 1971 fiz vestibular para o Curso de História Natural, da Faculdade de Filosofia do Crato, Ceará, logrando o primeiro lugar, concluindo a Licenciatura em 1974. Sou pós-graduado com Especialização em Ciências (Universidade Federal do Ceará); Sexologia (Universidade Cândido Mendes, Rio de Janeiro) e História do Brasil (Universidade Cândido Mendes).

Início das atividades de radialista e jornalista
Iniciei minhas atividades de radialista e jornalista  fazendo locução e redigindo e apresentando noticiário no SADS-Serviço de Auto-divulgação Salesiana, uma amplificadora que funcionava no Colégio Salesiano São João Bosco de Juazeiro do Norte como sendo uma emissora de rádio, e que fundei, em abril de 1964,  com os amigos Vital Tavares, Wellington Amorim, José Marques Filho, Jussier Cunha e Renato Casimiro. Neste período concomitantemente com a vida escolar, prestei serviço militar (1966) como atirador do Tiro de Guerra 210, tendo como dirigente o sargento Veras,  e passei a desenvolver intensa atividade radiofônica e jornalística. De início fui colaborador do Jornal Juvenil, editado em São Paulo, e foi nesse jornal, em 1964, com 17 anos de idade,  que publiquei minha primeira matéria jornalística sobre Juazeiro do Norte. Também nesse mesmo ano consegui uma façanha da qual muito me orgulho, que foi a publicação de uma nota enviada por mim para a famosa revista O Cruzeiro, a qual foi publicada na seção O impossível acontece. Narrava o fato real de homem que tentou o suicídio pulando da torre da Capela do Socorro, caindo em cima de outro homem que passava na frente da capela, matando-o. Os dois morreram na hora.
Em seguida, a partir de 17 de agosto de 1964,  passei a trabalhar profissionalmente no SACI-Serviço de Alto-falantes Cicerópolis (como locutor e redator de notícias), contratado pelo seu gerente, Pedro Duarte, oficialmente meu primeiro patrão.Pouco tempo depois, convidado por Coelho Alves ingressei na Rádio Iracema (nas mesmas funções), onde fiquei de 1965 a 1971. Ao mesmo tempo passei a escrever para jornais impressos, ocupando as funções de Redator Correspondente do jornal O Povo, de Fortaleza. Durante esse período também fui membro da diretoria do CEJ-Centro Estudantal Juazeirense, sendo responsável pela redação e apresentação do seu jornal sonoro O CEJ Informa. Fui redator-chefe do jornal Tribuna de Juazeiro, fundado por Aldemir Sobreira, além de colaborar como redator nos jornais Folha de Juazeiro, A Imprensa, Folha de Juazeiro, Jornal do Cariri, Tribuna do Ceará, Tribuna do Cariri, Correios Estudantil, entre outros. Publiquei também alguns artigos nos jornais Tribuna do Ceará e Diário do Nordeste, de Fortaleza. Fui fundador do Juaonline, o primeiro jornal eletrônico de Juazeiro do Norte, fundado em 1º de maio de 2005, depois transformado em Portal de Juazeiro, em 1º de maio de 2008. Em muitas instituições onde ocupei função profissional editei seus órgãos informativos, como os do IPESC, CEJ,  Associação Comercial, CELCA e CREFOP. O auge da minha carreira de radialista foi ter conseguido realizar o sonho de ser proprietário de uma emissora de rádio. Em 1984 eu,  Coelho Alves, seu filho Cícero Antônio, Francisco Silva Lima e Adauto Bezerra Junior colocamos no ar a Rádio Transcariri FM,  a primeira do gênero em Juazeiro do Norte e também de todo o interior cearense.  Outro destaque radiofônico de que muito me orgulho foi ter apresentado o Grande Jornal Sonoro Iracema, na Rádio Iracema de Juazeiro, fazendo parceria com locutores consagrados  na época, como Coelho Alves, Alcely Sobreira, Geraldo Batista, Aguinaldo Carlos, Maciel Silva e Carlúcio Pereira. 

Magistério
Iniciei minha carreira de professor em 1971 como substituto de Dr. Geraldo Menezes Barbosa, ensinando Ciências no Curso de Madureza do Colégio Estadual de Juazeiro do Norte. Foi nesta escola que introduzi no ensino juazeirense uma coisa até então inédita na cidade: as provas com questões de múltipla escolha. Trouxe a novidade de Recife e Fortaleza, onde estudei. No ano seguinte, fui contratado como professor efetivo e naquela escola, que passou a se chamar Centro Educacional Professor Moreira de Sousa, fui professor do Ensino Fundamental, do Curso Científico, do Curso Normal Pedagógico e do Quarto Pedagógico, afastando-me somente quando me aposentei em 2004. Também fui professor da Escola Técnica de Comércio, Colégio Menezes Pimentel, Escola de 2º Grau Governador Adauto Bezerra e do Cursinho Pré-vestibular Objetivo, todos de Juazeiro do Norte. Em 1982 ingressei no quadro de professores da Faculdade de Filosofia do Crato, hoje URCA-Universidade Regional do Cariri, com lotação no Curso de Biologia, onde fiquei até 2001, quando me aposentei como professor adjunto, no topo da carreira.

Expansão das atividades culturais, literárias e jornalísticas
Em 1974 dei amplitude à minha vida literária, associando-me ao Instituto Cultural do Vale Caririense, entidade da qual fui além de sócio, secretário, vice-presidente e presidente. Fui o idealizador e um dos fundadores da Associação Juazeirense de Imprensa e do Clube de Imprensa de Juazeiro. Fundei em 1865 uma agência de notícias chamada Juapress. A partir de 1969 passei a pesquisar a vida de Padre Cícero e de Juazeiro do Norte e disso resultou a publicação de vários livros, cuja relação é mostrada neste site. Foi no Ipesc que desenvolvi minha maior atividade como pesquisador. Participei de muitos simpósios, congressos e encontros, alguns dos quais como palestrante ou membro da comissão organizadora. Fiz dezenas de cursos de extensão cultural e ministrei vários cursos abrangendo as áreas da Biologia, História Regional e Turismo. Nessa área fui pioneiro em Juazeiro do Norte em duas coisas: lancei o primeiro site na internet (www.padrecicero.cjb.net) e o primeiro livro eletrônico (O Corpo Humano é engraçado), no site www.ebooksbrasil.com.br
Pelo conjunto de trabalho desenvolvido em prol do soerguimento cultural juazeirense cheguei a receber várias homenagens de reconhecimento.

Labuta precoce
Comecei a trabalhar muito cedo. Com 14 anos fui ajudante de seu Hercílio, um mecânico especializado em hidráulica e eletricidade que tinha sua oficina perto de minha residência, na Rua Conceição. Minha função era fazer rosca em canos de metal para uso nas instalações hidráulicas residenciais. Na minha adolescência, uma das coisas que muito me orgulha foi ter tido a ideia e fundar, no dia 7 de setembro de 1963, a Cooperativa de Crédito dos Primos Marques, uma espécie de banco para empresar dinheiro aos associados, ou sejam, os primos da Família Marques. Foi um grande sucesso. A Cooperativa depois se expandiu e passou a oferecer empréstimos a pessoas do Bairro do Socorro, não pertencentes à Família Marques. Em 2 de fevereiro de 1965 fundei meu primeiro jornal,  O Acionista, que era o órgão oficial da Cooperativa, e em 1966 lancei meu primeiro livro, intitulado História da CCPM, o qual contava como se deu a fundação da Cooperativa de Crédito dos Primos Marques.
Afora as atividades profissionais de magistério exerci outros empregos. Relações Públicas (1971-1974) da Celca-Companhia de Eletricidade do Cariri (depois Coelce); gerente da Crédimus S.A. Crédito Imobiliário, posteriormente transformada em Poupança Bradesco, 1974-1982. Em 1989 fui nomeado pelo reitor Teodoro Soares, da URCA, para o cargo de Coordenador de Pesquisa e Editoração do IPESC-Instituto José Marrocos de Pesquisas e Estudos Sócio-Culturais, entidade que ajudei a fundar, juntamente com os amigos Renato Casimiro e José Boaventura de Sousa. Nessa instituição intensifiquei minha carreira de escritor e pesquisador a qual resultou na publicação de vários livros. Ainda cheguei a trabalhar no serviço público municipal, ocupando as funções de Diretor de Pesquisa e Documentação da Secretaria de Cultura de Juazeiro, na administração do prefeito Mauro Sampaio (2000, onde fiquei menos de um ano) e Assessor Técnico da Secretaria de Turismo e Romaria, na administração do prefeito Manuel Santana (2009), onde também fiquei menos de um ano. Trabalhar no serviço público municipal foi a pior experiência de minha vida.  De todos os meus empregos, o que me deu realmente mais prazer foi o de locutor e redator da Rádio Iracema  e do Saci, pois nesses locais nunca tive nenhum momento de dissabor. Só alegria, mesmo! Ganhava pouco, mas era feliz! O magistério me proporcionou grandes momentos de empolgação e crescimento cultural, por muito tempo, mas depois me decepcionei com os rumos da Educação brasileira  e resolvi pedir aposentadoria proporcional.  Guardo, porém, ainda, boas lembranças de muitos colegas e alunos. Como professor da URCA nutro eternas recordações do tempo em que ministrei aulas de Biologia e proferi palestras em Seminários de Sexologia para os alunos do Curso de Licenciatura Plena do Ensino Fundamental, realizado nas cidades de Juazeiro do Norte, Barbalha, Caririaçu, Missão Velha, Várzea Alegre, Jati, Brejo Santo, Jardim, Saboeiro, Antonina do Norte, Assaré e Tarrafas. E também das vezes em que participei como membro das bancas para seleção de professores da URCA. Meu trabalho como professor do Moreira de Sousa também me proporcionou uma breve, única, gratificante e inesquecível passagem pela arte teatral, quando escrevi e dirigi a peça Escolinha do Professor Comenius, com um elenco de 40 integrantes, todos alunos do Moreira de Sousa. Depois que me aposentei passei a ocupar meu tempo em pesquisas sobre Padre Cícero e história regional e como redator do www.portaldejuazeiro.com
  
ACONTECIMENTOS MARCANTES. Minha vida foi pautada com  grandes acontecimentos que considero marcantes, alguns dos quais descrevo abaixo: 
NO RADIO. Ter sido  apresentador do Grande Jornal Sonoro Iracema ao lado do mestre Coelho Alves, privilégio concedido apenas aos melhores locutores da emissora. 
NO JORNALISMO. Ter uma notícia publicada na seção “O impossível acontece”  da famosa revista O Cruzeiro na década de 1960. A nota falava sobre a tentativa de suicídio de uma pessoa que pulou da capela do Socorro em Juazeiro e  caiu em cima de outra que passava em baixo, na calçada,  matando-a. 
VIDA ESTUDANTIL. Ter conquistado o primeiro lugar no vestibular para o curso de História Natural da Faculdade de Filosofia do Crato.
NO MAGISTERIO. Ter chegado ao último nível do cargo de Professor Adjunto da Universidade Regional do Cariri, no qual me aposentei, e ter sido escolhido como um dos seus Professores Eméritos.
COMO ESCRITOR. Ter publicado um livro sobre Padre Cícero na coleção “O pensamento vivo” da Editora Martin Claret, de São Paulo, o qual foi um dos campeões de venda da referida editora, com mais de 40 mil exemplares. 
NA CELCA. Ter sido escolhido pelo superintendente, Espedito Cornélio, para escrever o Relatório Anual da Celca, ano de 1971,  missão até então somente a ele confiada.  
NA CREDIMUS. Ter sido aclamado como o seu melhor gerente da agência de Juazeiro.
NO BRADESCO. Ter feito um estágio na sede do banco, em Osasco, SP, e ter almoçado com os diretores do banco. 
SAUDE. Doar um rim a meu irmão Walter, cirurgia realizada no hospital das clinicas de São Paulo, em 1º de novembro de 1969. 
VIDA CONJUGAL. Ter publicado um livro sobre a vida de minha esposa, Tereza Neuma. 
VIDA PESSOAL. Ter conquistado a confiança de muitos juazeirenses que me têm na conta de cidadão honesto e guardião da história da cidade.    


Nenhum comentário:

Postar um comentário